sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Disciplina na Igreja!!!

Resumo do livro "Disciplina na Igreja", do Dr RUSSEL PHILLIP SHEDD.

Uma das questões importantes do livro ora estudado é a imperiosa necessidade de disciplinarização perante fatos graves, que afetem diretamente os ensinamentos, preceitos e a ética cristã. O autor descreve da impossibilidade de um cristão convertido, feito nova criatura, adotar práticas ora dantes cometidas, como não conhecedor da palavra.

O apóstolo Paulo descreve com riqueza de detalhes sobre um fato imoral ocorrido na Igreja de Corinto, pois os membros haviam adotado uma concepção errada, ficando atônitos e surpresos com o pecado, quando deveriam ter imediatamente tomado providências. O próprio Paulo descreve expressões como “entregue a Satanás”, “espírito seja salvo”, “lançar fora o velho fermento”, com esperança de produzir arrependimento, sendo essa uma forma de correção, possuindo um poder de solução adequada.

Tal medida deveria cercar-se de publicidade e legalidade, para que todos possam reconhecer tal ato, não podendo este ser admitido dentro da Igreja e o membro devolvido às trevas, para sua morte física, não espiritual.

Essa entrega à Satanás dos chamados cristãos convertidos, conforme registrado acima, o membro era efetivamente excluído, sendo este privado a partir de então, de bênçãos, privilégios e da proteção de Deus, o que entende-se ser sofrimento e doença física. É uma atitude muito séria, mas necessária, pois a noiva do cordeiro não pode se deixar contaminar pelo pecado de um só homem.

O segundo registro, devidamente apontado em 1 TM 1.19-20, Paulo pessoalmente narra ter entregado dois homens de nome Himeneu e Alexandre a Satanás, para serem de forma efetiva, castigados, tendo como motivo desta atitude, o pecado de terem blasfemado, negando a fé que antes, haviam confessado. Tal ato corrobora-se com o registro de 2 TM 2.17, onde Himeneu, juntamente com um homem chamado Fileto desviaram-se da verdade, declarando que a ressurreição já havia se passado, provando que Himeneu não fora um crente genuíno. Diferente de hoje?

Deus disciplinador
Quando a Igreja, por motivos evasivos, condescendentes ou simplesmente ignoram o erro, e por isso deixam de agir, Deus executa a sua disciplina, removendo, cortando do seio da Igreja aquela “árvore que não dá fruto”. Às vezes, não entendemos a disciplina exercida por Deus, mas ela é necessária e pode atingir membros ou até mesmo congregações inteiras, trazendo o juízo de Deus para si e produzir vantagens futuras.

De forma alguma podemos questionar os métodos, as formas e a justiça de Deus no trato com a indisciplina de sua Igreja, que pode chegar inclusive a morte, como foi o caso de Ananias e Safira. Talvez não houvesse questionamento sobre questões financeiras se essas pessoas não tivessem sido mentirosas, que foi o pecado principal. A vítima na ocasião não foi Pedro, não foi João, não foi a Igreja, mas sim o próprio Espírito Santo, habitando sim, na Igreja e este pecado foi absorvido por Deus, fazendo-se a disciplina com a pena capital.

Quando João escreve à Igreja de Éfeso, Deus usa o imperativo “Lembra-te”, exortando a Igreja a arrepender-se, ou seja, que mudem sua maneira de pensar e agir. Neste caso, vemos que Deus dava a essa Igreja a oportunidade de cura espiritual, mas a Igreja já sabia da conseqüência, e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o seu candeeiro, demonstrando assim uma visitação especial de julgamento.

Conclusão
Em síntese, Deus deseja que exerçamos nossa liberdade de escolha com sabedoria, vivendo em santidade porque senão ninguém o verá. Mas que se essa comunhão for quebrada pela ação destruidora do pecado, ele agirá, caso a Igreja não haja. Cabe a esta mesma Igreja a obrigação de estar disciplinando seus membros, pois o que ligardes na terra, será ligado no céu e o que desligardes na terra será desligado no céu.

A leitura assídua da palavra, a comunhão com a Igreja e com os irmãos, faz com que hajamos conforme a vontade do Pai, atingindo a maturidade cristã.

Autor
Thel Berbert Souza, Diácono da Igreja Metodista Unida (Bairro Planalto – Uberlândia-MG)
Bacharelando em Teologia pelo IBADETRIM - Instituto Brasileiro das Assembléias de Deus no Brasil

3 comentários:

  1. Ótimo Artigo! Disciplina-me Senhor a andar sempre por Tuas veredas. Paz, Amados!

    ResponderExcluir
  2. Olá Prof.Francisco, obrigada pela visita ! Agradeço seus comentários! Desculpe-me a demora para responder...porém trabalho durante a semana toda (como professora) e só chego á noite em casa, tenho casa, marido, filho e pais para cuidar e faço curso aos sábados e ainda administro 9 imóveis (sou advogada ), ás vezes não consigo entrar na net para ver meu blog durante a semana. Ufa!!!
    Vejo que também gosta de Rubem Alves...tive o prazer de ler seu livro e já o utilizei para criar trabalhos para meus alunos (post no blog).
    Adoro ler e concordo plenamente com o que postou:
    "Ler é prazeroso e alimenta a alma. É, Prazer incomparável, inclusive, outros prazeres são passageiros, mais o ler é perene e acompanha em toda a vida."
    Aparecerei outras vezes para visitar o seu blog!
    Um grande abraço!Uma ótima semana cheia de Paz e Luz !

    ResponderExcluir
  3. Olá Francisco
    Graça e Paz!!!!

    Estava lendo seu texto Disciplina na Igreja, baseado no livro do Dr RUSSEL PHILLIP SHEDD.
    Me lembrei que alguns meses atrás (abril/10) estive num congresso com o Pastor Dr. Russel. Eu só o conhecia de nome e Deus me deu o privilegio de falar com ele.
    Foi uma bênção ouvi-lo ministrar naqueles dias.

    Amei o artigo,

    Deus abençoe,

    Suely

    ResponderExcluir

The Best Articles