quarta-feira, 7 de abril de 2010

Jeremias, o Profeta da Esperança - Lição 1

O nome Jeremias - do hebraico “Yirmeyahu”, aparentemente significa “O Senhor Estabelece”. Jeremias nasceu aproximadamente em 647 a.C., na cidade benjamita de Anatote, terra da família sacerdotal de Abiatar (1 Rs 2.26), situada a 5 Km a nordeste de Jerusalém. Era filho de Hilquias, sacerdote no período da reforma do rei Josias.

Inicio de ministério - por volta de 626 a.C., no 13º ano de Josias, Jeremias iniciou o seu ministério profético quando ainda [não se sabe a idade] Jr [1.6], apesar de ser vocacionado à profeta desde o ventre materno [1.5].

Resistência ao chamado profético - sua escusa, atribui-se à sua pouca idade [Jr 1.3], contudo, aqui o termo “criança” ou “menino”ou “adolescente”, entende-se como jovem ou rapaz.

Essa resistência de Jeremias foi comum a Moisés [Ex 3.11, 13; Ex 4.1, 10, 13]; a Barac quando chamado por Débora [Jz 4.8-9] e de João Marcos, que após atender ao chamado, desiste no meio da jornada [At 15.37-38]; diferentemente do profeta Isaías, que prontamente atendeu ao chamado [Is 6.8], de Abrão [Gn 12.1-4] que agiu do mesmo modo.

Profetizou cerca de quase um século depois de Isaías e de Miqueias, e todos com mensagens de Juízo à nação pecadora.

Casamento – proibido de casar-se pelo Senhor como sinal à nação [16.2]. Motivos: afim de que não viesse a ter filhos e filhas; sobre a nação sobreviria juízo; morreriam de enfermidade, fome e espada; não seriam pranteados, sepultados e seus cadáveres serviriam de alimentos aos abutres e de esterco à terra. O juízo veio pela desobediência da nação [Jr 16.11-13, 17-18, 20-21].

Proibiu Deus ainda – “Não entres na casa do luto” [Jr 16..5]; “ nada se lhes dará por dó, para consolá-los por causa de morte” [Jr 16.7]; “ Nem entres na casa do banquete” [Jr 16.8]. Devido à dureza do coração do povo [Ef 4.18; Tg 1.8; 1Pe 1.22], Deus enviou sua mensagem através de seu porta-voz, contudo, não houve arrependimento.

Contemporâneos – viveram em seu tempo: no começo de seu ministerio, os profetas Sofonias e Habacuque, e mais adiante, o profeta Daniel.

Perfil do profeta Jeremias – sensível [Jr 9.1; 13.17; 22.10; Lm 1.2], humilde e não se misturou à cultura de seus dias, pelo de Deus a missão de profetizar aos seus contemporâneos.

Rejeição do profeta - Jeremias veio a ser rejeitado em função da sua mensagem de juízo pelo pecado do povo. Sua mensagem profética direcionada à monarquia, contra os sacerdotes e também contra os falsos profetas. Foi Perseguido e agredido pelos sacerdotes [Jr 20.1-3]; rejeitado pela família [Jr 12.6]; preso por ordem do rei Zedequias em calabouço, i.e., cisterna, por profetizar contra os príncipes, reis e comportamento da nação [Jr 38.1-10]; rejeitado pelos seus contemporâneos [Jr 11.19-23]; acusado de traição, por ordenar, a mando do Senhor, que Judá se rendesse aos babilônicos. Contudo, nutria grande afeição pelo seu povo e todas essas lutas o aproximava cada vez mais de Deus. O livro de Jeremias revela algo de seus tocantes diálogos com o Senhor (11.18-23; 12.1-6; 15.1-21; 18.18-23; 20.1-18).

Fontes de sustento do profeta - Jeremias tinha origem sacerdotal [Jr 1.1] e em dado momento adquiriu e pagou um campo [Jr 32.5-14]; recebeu um quinhão [Jr 32.12], ainda que não se apossado deste, pois veio a ser preso; Nebuzaradã, capitão da guarda babilônico deu-lhe um presente [Jr 40.5]. Desta forma, sabe-se que o seu sustento provinha de Deus.

Fontes
1. Cf. ARCHER, Gleason L. Merece confiança o Antigo Testamento? São Paulo: Vida Nova, 1984, p. 298.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

The Best Articles