quarta-feira, 28 de julho de 2010

Superdicas para professores de EBD: Perguntar Eficazmente!!!???

"Disse Jesus: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?" - Mt 16.13

Não é novidade o uso da interrogação durante as minitrações, falas públicas, explanações e/ou pregações. Não, não é novidade! Sabemos que se bem usado este recurso retórico, produz nos ouvintes mais atentos a curiosidade da resposta e mesmo que este já tenha em mente algo pronto, certamente será solidificado o seu conhecimento.

As salas de EBD [Escola Bíblica Dominical] é um verdadeiro laboratório, um canteiro de obras, lugar onde se lapida pedras preciosas. O verdadeiro ensinador sempre está em busca de excelência. O seu alvo é Ef 4.11, ser pastor-mestre, ou, imitar ao mestre dos mestres: Jesus Cristo. Assim, deve conhecer e usar de todas as ferramentas para tal.
No séc. IV a.C, o filósofo grego Sócrates muito se utilizou desta ferramenta, interrogando as pessoas como forma de as fazer pensar. Inclusive, cunhou a celebre frase: "conhece-te a ti mesmo". No Jardim do Éden, Deus ao chamar Adão: "Onde estás? [Gn 3.9], também a pergunta feita a Jeremias: "Que é que vês? [Jr 1.11, 13], e, no NT Jesus Cristo interroga: "Quem dizem os homens ser o filho do homem? [Mt 16.13], ou, "Que Queres?" [Mt 20.21], "Que quereis que vos faça?" [Mt 21.32], são todas perguntas que se leva o interrogado a mergulhar num pensamento imediato, prioritáriamente à resposta. É óbvio que às perguntas sócráticas, este não tinha todas as respostas, porém, às perguntas feitas por Deus, Ele já sabia qual seria a resposta, contudo nota-se aqui a necessidade, a importância em levar o homem a pensar e expressar este pensar.

Quando o ensinador, mestre, se utiliza eficazmente de perguntas retóricas [que leva os ouvintes a pensar, mas não necessariamente a responder] alcança alguns objetivos, quais sejam:

1.Participação direta ou indireta do ouvinte;
2.Ao pensar na resposta à pergunta, o ouvinte mergulha na aula;
3.É importante também o ouvinte verbalizar, externar seu pensamento de forma objetiva, como parte do processo de aprendizagem;
4.Cultiva no ouvinte um senso crítico;
5.Enraiza conhecimentos;
6.Evita-se dispersão do ouvinte;
7.Pratica-se a linguagem inclusiva, i.é., arrebata-se o ouvinte para dentro do assunto;
8.Exercita o celebro do ouvinte, isto é muito importante;
9.Potencializa a aula e valoriza o ouvinte.

Um detalhe muito importante no uso desta superdica é que o ensinador deve ter o domíniuo pleno do assunto abordado, asim como as respostas. Também estas perguntas, especialmente em salas de aula, devem visar uma resposta direta, ou resposta objetiva, afim de não dispersar o pensamento em respostas subjetivas.

Perguntas diretas como: Quantas vezes você leu toda a Bíblia? Ou Quantas vezes você ora durante o dia?, Solteiro ou Casado? São perguntas que exigem respostas diretas, e se, dentro do assunto da aula ministrada se fizer perguntas assim, se alcançará ótimos resultados no ensino.

Portanto, sejamos ousados nas perguntas. Você interroga seus ouvintes? O que acha de fazer isto na próxima aula? Sugiro que sejam feitas pelo menos 10 perguntas retóricas, isso no decorrer de 60 minutos de aula, dando alguns segundos à resposta na cabeça do ouvinte. Támbém sugiro pensar nas perguntas que os ouvinstes poderão vir a fazer  e caso não as faça, aproveitar bem.

Pergunte com inteligência e responda com argumento forte e ousado. Aproveite bem esta superdica. Boa aula.

F. A. Netto                                                                                      Soli Deo Gloria.                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

The Best Articles